Cefaleia, ou Dor de Cabeça. É possível diminuir ou evitar?

Medicina |

Compartilhe em suas redes sociais:

É pouco provável que você conheça alguém que nunca teve pelo menos um episódio de Cefaleia, popularmente chamada simplesmente de Dor de Cabeça. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 90% da população mundial já sentiu dor de cabeça ao menos uma vez na vida.

Muitas pessoas acreditam que a dor de cabeça tem origem no cérebro, mas isto, na verdade, corresponde à minoria dos casos. Em geral, a cefaleia se origina nos vasos sanguíneos, músculos da cabeça e pescoço e nas terminações nervosas. Quem sofre de dor de cabeça constante pode se sentir bastante debilitado, mas a maior parte delas não oferece riscos à vida dos portadores. Quando se manifestam por mais de quinze dias, durante pelo menos três meses seguidos, já podem ser consideradas como Cefaleia Crônica.

A cefaleia acomete homens e mulheres em qualquer faixa etária, e o curioso é que mesmo ocorrendo com tanta frequência e atingindo tantas pessoas, a maioria delas desconhece sua causa e, principalmente o que deve fazer para evitá-la.

“A dor de cabeça pode ocorrer em decorrência de vários fatores, inclusive de maus hábitos, como má alimentação, jejum prolongado, poucas horas de sono, postura incorreta, entre outros.”

Genilton Passos da Silva

Neurologista - CRM 99.568-SP

Conhecer as Causas Para Fazer o Mais Difícil: Mudar Hábitos

O neurologista Genilton Passos da Silva, parceiro do portal Nossos Doutores no Alto da Lapa (SP), explica que para o tratamento seja eficiente, não basta diagnosticar corretamente a causa de uma cefaleia. É preciso também que o paciente faça a parte dele, cumprindo corretamente o tratamento recomendado, que muitas vezes envolve mudanças no seu estilo de vida. “Quando o paciente relata ter dores de cabeça frequentes, é importante levar em conta que ela pode ocorrer em decorrência de vários fatores, inclusive de maus hábitos, como má alimentação, jejum prolongado, poucas horas de sono, postura incorreta, entre outros”, explica o médico.

Ele explica que “cada caso é um caso. Os gatilhos para a crise de um indivíduo podem não representar nada para o outro, assim como os fatores que ajudam a amenizar os sintomas”. Segundo o médico, os tratamentos podem incluir o uso de analgésicos, acupuntura e também podem envolver mudanças mais profundas de comportamentos, hábitos e até de padrões mentais, envolvendo psicoterapia, por exemplo.

Estresse, mudanças climáticas, alterações hormonais, entre outras, podem ser fatores que aumentam a intensidade e frequência das crises de cefaleia. Mas há, ainda, outras causas potencialmente graves, como meningite, AVC (derrame) ou encefalite, que requerem ação imediata, em caráter de emergência. 

“Estresse, depressão e ansiedade, uso inadequado de medicamentos e falta de sono podem piorar a frequência e a intensidade das crises de dor de cabeça, que vão minando aos poucos a qualidade de vida do indivíduo – e podem gerar um círculo vicioso, em que é difícil saber o que surge primeiro.”

Juliana Kleiman

Clínica Geral - CRM 169.429-SP

O Quarteto (NÃO) Fantástico gerador da Cefaleia

A clínica geral Juliana Kleiman, parceira do Nossos Doutores em Santa Cecília (SP), destaca que existem quatro fatores muito comuns, que comprovadamente servem de combustível à dor de cabeça: o estresse, a depressão e ansiedade, o uso inadequado dos medicamentos, e a falta de sono. “A presença de um ou mais desses fatores pode piorar a frequência e a intensidade das crises, que vão minando aos poucos a qualidade de vida do indivíduo – e podem gerar um círculo vicioso, em que é difícil saber o que surge primeiro”.

Tipos de Dor de Cabeça

As cefaleias podem ser classificadas em Primárias ou Secundárias. 90% delas pertencem ao grupo das primárias, que são funcionais e não orgânicas. As 10% restantes são secundárias, decorrentes de doenças graves da própria cabeça ou de outras partes do corpo.

Alguns dos tipos de cefaleia, são:

Cefaleia Tensional

É o tipo mais comum de dor de cabeça. Gera sensação de “aperto” causada principalmente pelo nível de tensão e estresse, falta de qualidade do sono e alimentação inadequada. Apesar do nome sugerir algum tipo de tensão, esta não é necessariamente sua causa. Pode surgir também por outros fatores, como dor de dente, problemas oftalmológicos, má postura, entre outros.

Afeta mais as mulheres e sua intensidade varia de leve à moderada, sendo bem menos intensa que a enxaqueca. A dor pode durar algumas horas ou até mesmo alguns dias.

Pessoas com esse tipo de dor podem sentir náuseas ou sensibilidade à luz e ruído, e sentir a dor se agravar diante de esforços físicos, excesso de trabalho e estresse.

Enxaqueca

As enxaquecas provocam dor mais forte do que a cefaleia, normalmente de forma mais forte em um dos lados da cabeça. É mais comum entre as mulheres.

Sua intensidade varia de moderada a forte e causa sensação de latejamento, e pode ser acompanhada por náuseas, vômitos, sensibilidade à luz, ruídos ou cheiros.

Pode ter causas físicas ou emocionais (reação a alguns alimentos, crises de ansiedade, estresse, TPM,  cheiros fortes, entre outros). A dor pode durar de 4 a 72 horas, e esforços físicos podem piorar a sensação de dor.

Hemicrânia Paroxística

É uma dor incomum, mas não rara, unilateral, incessante, moderada, mas com picos de dor intensa.

Aparece diariamente e é facilmente confundida com enxaqueca, cefaleias em salvas e até sinusite.

Pode tornar-se intensa e severa ou pulsátil e moderada, durando de 5 a 45 minutos. É acompanhada por aversão a luzes e a barulhos, náuseas e/ou vômitos, dor intensa nos olhos, têmporas, fronte e malar, olhos vermelhos, lacrimejamento e congestão nasal.

As crises podem ocorrer diversas vezes ao dia, em dias seguidos ou com intervalos.

Cefaleia em Salvas

É a mais rara, muito intensa e dolorida, com causas ainda desconhecidas. Afetando apenas 1% das pessoas.

Este tipo de dor de cabeça se repete ao longo de um período e pode ocorrer várias vezes por dia, durando de duas semanas a três meses.

Manifesta-se com pontadas intensas na região dos olhos. Afeta mais os homens e é frequentemente noturna. Pode durar de 15 a 180 minutos, associada a vermelhidão nos olhos, lacrimejamento, congestão nasal, sudorese, queda da pálpebra do mesmo lado da dor e até mesmo edema facial.

Manifesta-se somente em algumas épocas do ano.

Cefaleias Secundárias

São classificadas por sua origem, não por seus sintomas. Entre as causas estão os traumas na cabeça ou no pescoço, distúrbios vasculares cranianos ou cervicais, como o acidente vascular cerebral (AVC), hemorragias intracranianas, malformações vasculares ou arterite. Sinusites agudas, meningite e outras infecções, tumores, problemas cervicais,  aneurismas, gripes, resfriados, problemas de anatomia, entre outros, também podem levar à cefaleias secundárias, com diferentes níveis de intensidade.

Comer mal pode ser uma dor de cabeça…

Pequenas mudanças na alimentação podem ser aliadas para evitar a cefaleia. Estima-se que cerca de 30% das dores de cabeça têm algum tipo de relação com alimentos e bebidas. Por isso, observar e ajustar o cardápio pode ajudar muito!

Porém, antes de realizar qualquer alteração na dinâmica alimentar, você deve observar sua rotina com bastante atenção, associando a ingestão de determinados alimentos com o eventual aparecimento de uma dor de cabeça. Fazer o  contrário também é recomendado, ou seja, ficar atento quando perceber que a dor de cabeça cessa depois de comer um determinado alimento.

Encontre agora um Médico perto de você

Quer EVITAR da dor de cabeça? FUJA destes alimentos:

Queijos, chocolates, cervejas e vinhos

São alimentos que possuem amina, que promove constrição dos vasos sanguíneos e pode contribuir para o surgimento de cafaleia.

Cuidado com o excesso de sal

O excesso de sal leva à retenção de líquidos e pode gerar aumento da pressão arterial, que é uma causa comum de dor de cabeça.

Café, chás pretos e refrigerantes

Possuem cafeína, que eleva a pressão arterial por meio da contração dos vasos sanguíneos podendo causar dores de cabeça.

Bebidas alcoólicas em geral

Possuem histamina e tiramina, que aumentam a propensão ao aparecimento da cefaleia.

Manteiga, carnes gordas, frituras, doces, requeijão, leite integral e derivados

Os lipídios contidos nesses alimentos possuem proteínas alergênicas, que podem causar cefaleia.

Embutidos (salame, presunto e salsichas)

São alimentos que contêm nitratos e nitritos, que alteram o calibre e a dilatação dos vasos sanguíneos e podem intensificar a dor de cabeça.

Quais alimentos podem AJUDAR a REDUZIR as dores de cabeça?

Vegetais folhosos, nozes, arroz integral, pão integral, aveia e derivados

Possuem magnésio, por isso reduzem o espasmo dos vasos arteriais e relaxam a musculatura tensionada, aliviando eventuais dores de cabeça.

.

Verduras, feijão, ovos, carnes magras, aves e pescados

Contêm triptofano, um aminoácido que age como neurotransmissor e gera sensação de bem-estar, reduzindo a ansiedade e evitando a cefaleia.

Linhaça, peixes e ovos

O Ômega 3 destes alimentos possui ação anti-inflamatória, que pode evitar ou contribuir para o alívio de dores de cabeça.

.

Cenoura, gengibre, maçã, laranja e kiwi

São antioxidantes, e contribuem para o bloqueio das prostaglandinas, substâncias que causam inflamações no corpo, evitando assim as dores de cabeça.

Chá de camomila e de gengibre

Ajudam no combate à enxaqueca por conter propriedades anti-inflamatórias e anti-histamínicas.

.

Água

Ingerindo 2 litros por dia a pessoa garante que esteja bem hidratada, evitando assim uma das causas mais comuns da dor de cabeça: a desidratação.

Pimentas

Possuem capsicina, que melhora da circulação sanguínea e o auxília no alívio da dor de cabeça e dores em geral.

.

As Dores de Cabeça Entre os Brasileiros

O brasileiro, infelizmente, demora para procurar orientação médica. Grande parte da população tenta resolver a dor de cabeça se automedicando. Isso faz com que o número da venda de analgésicos no Brasil seja perigosamente alto: segundo pesquisa da Academia Brasileira de Neurologia, 81% dos brasileiros tomam remédios para dor de cabeça sem orientação.

A automedicação é contraindicada, especialmente nos casos em que a dor de cabeça é forte e constante. Os remédios podem gerar efeitos adversos, além de mascarar patologias mais sérias, cujo primeiro sinal de alerta possa ser justamente a dor de cabeça.

Quando a dor de cabeça é caso de emergência?

Quando o paciente busca assistência médica, um eventual problema pode ser mais rapidamente identificado, e tratado corretamente.

Ainda que a maioria dos casos de cefaleia não indique um quadro grave, isto não quer dizer que eles não existam. Se a dor de cabeça começar a aparecer acompanhada de dificuldades na fala, desequilíbrio, confusão mental ou vômitos, é preciso procurar um médico imediatamente.

Algumas dores podem ser sinal do início de uma meningite ou encefalite, ou até mesmo sinal de um acidente vascular cerebral ou a ruptura de um aneurisma. Ações rápidas, em casos como estes, são imprescindíveis e podem salvar a vida do indivíduo. Em caso de emergências, ligue para o SAMU, discando 192.

Quando é que o “comum” deixa de ser “normal”?

A Sociedade Brasileira de Cefaleia lançou uma campanha de conscientização chamada “Três é Demais”, que objetiva estimular a população a procurar aconselhamento médico. A entidade orienta que pessoas que têm 3 ou mais episódios de dor de cabeça em um mesmo mês, durante 3 meses seguidos, procure um médico.

Segundo a médica Juliana Kleiman “a grande questão para quem tem dores de cabeças constantes e frequentes é descobrir, de fato, sua verdadeira causa. Afinal, se ela não for detectada e tratada devidamente, o indivíduo não poderá se livrar de forma definitiva da dor, ou pelo menos, diminuir a frequência e intensidades dos episódios de cefaleia”.

Encontre agora um Médico perto de você

Um bom diagnóstico precisa levar em consideração as características específicas da dor, e deve ser realizado por um profissional da saúde especializado.

O neurologista Genilton Passos da Silva lembra que “buscar orientação médica e ficar atento aos hábitos – e às respostas do próprio corpo, com o surgimento ou desaparecimento da cefaleia – são as melhores formas de resolver ou diminuir um problema que, ainda que seja comum, não deve ser considerado normal. Viver com dor de cabeça é viver com má qualidade de vida. Episódios eventuais podem até ser toleráveis, mas viver dor de cabeça constante ou muito intensa não é, em absoluto, saudável”.

Encontre agora um médico perto de você:

Compartilhe em suas redes sociais:

Conheça os profissionais que participaram deste artigo:

Genilton Passos da Silva - Neurologista - Alto da Lapa, São Paulo - SP

Genilton Passos da Silva
Neurologista
Alto da Lapa, São Paulo – SP
CRM 99.568-SP

Juliana Kleiman - Clínica Geral - Santa Cecília, São Paulo - SP

Juliana Kleiman
Clínica Geral
Santa Cecília, São Paulo – SP
CRM 169.429-SP

Leia também:

Siga-nos nas redes sociais:

Médico por preço acessível

Seu doutor particular perto de você, por um preço que no seu bolso.

Psicólogos, Médicos, Dentistas Fisioterapeutas, Nutricionistas e Fonoaudiólogos

Consultas particulares agora cabem no seu bolso e estão bem perto de você.

Encontre já seu médico, psicólogo, dentista, nutricionista, fonoaudiólogo ou fisioterapeuta.

Sobre o Nossos Doutores

Com o Nossos Doutores, pacientes sem convênio podem agendar consultas particulares com médicos, psicólogos, dentistas, nutricionistas, fonoaudiólogos e fisioterapeutas, a preços acessíveis, usando critérios de localização, especialidade e agenda disponível. São centenas de profissionais em São Paulo e Grande SP. Não é convênio e não há mensalidades. O uso pelo paciente é gratuito: ele paga somente a consulta realizada, diretamente ao profissional que o atendeu. As consultas são realizadas no consultório particular do doutor escolhido pelo paciente.

(11) 95978-1941

 

Todas as informações aqui apresentadas têm objetivo meramente informativo, não pretendendo, em tempo algum, substituir as orientações e diagnósticos de profissionais da saúde, ou servir como indicação para qualquer tipo de tratamento. Somente o profissional da saúde poderá indicar, iniciar, alterar ou interromper tratamentos. NUNCA tome medicamentos sem orientação médica.

Logo - Nossos Doutores

Receba nossas novidades!

Tudo sobre sua saúde física, mental e emocional, com o olhar humano e atento dos Nossos Doutores.

Obrigado! Seu e-mail foi cadastrado!