Vencer a depressão é possível. Mas por onde começar?

Psicologia | 0 Comentários

Compartilhe em suas redes sociais:
[et_social_share]

Vencer a Depressão é uma conquista que se faz um passo de cada vez, com toda a ajuda que se possa ter.  Mas, para que se saiba o que é a Depressão e como começar a superá-la, é preciso entender primeiramente o que ela não é.

Sabe-se que a tristeza e ansiedade são características a boa parte das pessoas em todo o mundo. A vida nas grandes cidades, as dificuldades econômicas, a pressão no trabalho (ou pela falta dele), os conflitos familiares, afetivos e de saúde, entre outras tantas causas, levam qualquer pessoa a um estado de maior ou menor desequilíbrio. Mas, quando  estas sensações deixam de ser momentâneas e passam a afetar mais profundamente a qualidade de vida, pode-se estar diante de um quadro mais grave: a Depressão.

Esta é uma das doenças que mais tem crescido nos últimos anos. Com características próprias, ela não deve ser confundida com Tristeza, que é uma condição passageira, um sentimento. A pessoa triste consegue manter sua rotina, seus cuidados pessoais e até, diante de alguma boa notícia, vivenciar a alegria. E ela consegue identificar o motivo pelo qual está triste.

Já a Depressão é uma doença, uma patologia clínica que causa intenso sofrimento. Seu principal sintoma é a queda de energia que se manifesta através de alguns fatores, entre eles uma tristeza permanente aliada a prolongados momentos de desmotivação, falta de interesse em quase tudo, falta de desejo, falta de vontade de se cuidar, incapacidade de seguir sua rotina e uma terrível sensação de cansaço e vazio.

A Depressão não precisa ter um motivo aparente para ocorrer. A tristeza, sim.

A psicóloga Mariana Oliveira Reis, parceira do portal Nossos Doutores na região do Tatuapé, fala no vídeo abaixo sobre a diferença entre Tristeza e Depressão, e sobre o encaminhamento necessário quando o diagnóstico de Depressão é confirmado

Enfrentando o preconceito

Segundo estudo publicado pela OMS, mais de 300 milhões de pessoas sofrem com a Depressão no mundo, que teve um preocupante aumento de 18% em apenas 10 anos.

Apesar do profundo impacto da doença na vida dos que a enfrentam, muitas vezes a Depressão não é respeitada porque as pessoas têm dificuldade em entender ou aceitar aquilo que não conseguem enxergar, e que pode não ter causa aparente. Mas a Depressão não tratada é como uma morte em vida – e a pessoa tem muita dificuldade em reagir.

Diferente de uma dor que você consegue descrever e que acontece em uma parte específica do corpo, a Depressão é uma condição difusa, abrangente, como uma enorme sombra que cobre todos os aspectos da vida de uma pessoa. É por afetar a vida como um todo, e não apenas a parte física, que vencer a Depressão exige muita força de vontade e um tratamento cuidadoso.

Existe um enorme preconceito, que faz as pessoas com Depressão serem vistas como preguiçosas ou acomodadas. Muitas vezes são elas próprias que se veem desta forma. Com isto, muitos só procurar ajudam depois que já atingiram um nível que consideram insustentável, às vezes depois de anos de sofrimento.

A compreensão da família e amigos é um dos principais aliados de quem precisa vencer a Depressão. O paciente necessita receber e motivação, não críticas e impaciência. É preciso entender que qualquer pequeno avanço – como comparecer a uma sessão de psicoterapia – deve ser visto como um sinal importante da sua motivação em se tratar.

 

Tratando a Depressão

O primeiro passo para começar a vencer a Depressão é o querer. É olhar-se no espelho e entender que a mudança é necessária, indispensável. É entender que é preciso começar a mudar, imediatamente. No momento em que esta vontade superar a Depressão acontece, a ajuda de um profissional é muito importante, para que o encaminhamento seja o mais adequado. Segundo Clemildes Vera Araújo, psicóloga da região da Vila Mariana, em São Paulo, “em geral, o tratamento da depressão começa com um diagnóstico sério, feito por um psicólogo ou psiquiatra. O tratamento é normalmente feito com sessões de psicoterapia e uso de medicamentos antidepressivos, com a atuação desses dois profissionais, de forma simultânea”.

Os medicamentos atuam na parte física, apenas. Mas eles não curam a doença, apenas amenizam seus sintomas.”

Clemildes Vera Araújo

Psicóloga - CRP: 06/61.072

É importante ter em mente que a Depressão envolve um grande emaranhado de aspectos da vida do paciente: relações afetivas, carreira, família, história pessoal e, claro, a parte física, os desequilíbrios neuroquímicos causados pela doença. A psicóloga ressalta que os medicamentos têm um papel importante no tratamento, mas “eles atuam na parte física, apenas. Mas eles não curam a doença, apenas amenizam seus sintomas”. Por isso, a continuidade das sessões de terapia e as revisões pessoais pelas quais o paciente passa têm papel fundamental no controle da Depressão e na melhora da qualidade de vida do paciente.

O tratamento deve ser sempre individualizado, observando o paciente como um todo, seus hábitos, suas relações, seu meio social e cultural.

Encontre agora um Psicólogo perto de você

É verdade que a Depressão é mais comum em mulheres?

As alterações hormonais naturais que as mulheres têm ao longo da vida, com o início da menstrução, as oscilações durante o ciclo, a gravidez, parto e a menopausa, tornam o sexo feminino mais vulnerável a quadros depressivos. É justamente nos períodos de variação hormonal mais brusca, como depois de um parto ou no início da menopausa, que a frequência aumenta.

Nos homens, a Depressão é mais comum entre os adultos jovens, no período entre o final da adolescência e os 30 anos, o que gera um enorme impacto na carreira, no desempenho profissional e financeiro.

Crianças e idosos também podem sofrer com depressão. Nesses pacientes o diagnóstico é mais difícil, porque a doença é vista como um traço de personalidade, o que requer ainda mais sensibilidade e olhar cuidadoso por parte da família e amigos.

 

Vencer a Depressão: entender para enfrentar

A Depressão não é uma só “fase ruim”, nem é fraqueza ou preguiça. Não é falta de atitude. E não é tristeza.

Entender a complexidade do problema e aceitar que ele requer um tratamento cuidadoso é o melhor caminho para enfrentar – e vencer – a doença. É normal sentir-se triste diante de uma notícia ruim, uma fatalidade, uma frustração. Mas não é normal sentir-se por muito tempo tão absolutamente incapaz, como se sente uma pessoa com depressão. Buscar ajuda e comprometer-se com a própria cura é o primeiro passo para que se possa voltar à normalidade – ainda que sempre vigilante, para que ela não retorne ou seja tratada de imediato, já que está é sempre uma possibilidade.

O portal Nossos Doutores tem um grupo de Psicólogos e Psiquiatras prontos a ajudar você ou seus entes queridos a enfrentar a Depressão com a seriedade que ela merece. Começar o tratamento é um passo que pode parecer difícil, mas pode ser a melhor forma de começar a mudar a própria vida. E, finalmente, vencer a Depressão.

Compartilhe em suas redes sociais:
[et_social_share]
Clemildes Vera Araújo - Psicóloga

Clemildes Vera Araújo Vila Mariana, SP CRP 06/61.072

Mariana Oliveira Reis - Psicóloga

Mariana Oliveira Reis Tatuapé, SP CRP 06/135.789

Siga-nos nas redes sociais:

Médico por preço acessível

Seu doutor particular perto de você, por um preço que no seu bolso.

Psicólogos, Médicos, Dentistas Fisioterapeutas, Nutricionistas e Fonoaudiólogos

Consultas particulares agora cabem no seu bolso e estão bem perto de você.

Encontre já seu médico, psicólogo, dentista, nutricionista, fonoaudiólogo ou fisioterapeuta.

Sobre o Nossos Doutores

Com o Nossos Doutores, pacientes sem convênio podem agendar consultas particulares com médicos, psicólogos, dentistas, nutricionistas, fonoaudiólogos e fisioterapeutas, a preços acessíveis, usando critérios de localização, especialidade e agenda disponível. São centenas de profissionais em São Paulo e Grande SP. Não é convênio e não há mensalidades. O uso pelo paciente é gratuito: ele paga somente a consulta realizada, diretamente ao profissional que o atendeu. As consultas são realizadas no consultório particular do doutor escolhido pelo paciente.

(11) 95978-1941

 

Todas as informações aqui apresentadas têm objetivo meramente informativo, não pretendendo, em tempo algum, substituir as orientações e diagnósticos de profissionais da saúde, ou servir como indicação para qualquer tipo de tratamento. Somente o profissional da saúde poderá indicar, iniciar, alterar ou interromper tratamentos. NUNCA tome medicamentos sem orientação médica.

Logo - Nossos Doutores

Receba nossas novidades!

Tudo sobre sua saúde física, mental e emocional, com o olhar humano e atento dos Nossos Doutores.

Obrigado! Seu e-mail foi cadastrado!